E a lua que não dorme?

E a lua que não dorme

Está lá, com sol a pino.
Esse destino de amante
Mexe com instinto de fase.

Toco-a para ver se percebe
que seu passeio diário, só faz aumentar silêncios
e que por via das nuvens
– o sol, seu amor contrário –
fecha-lhe a cara e se esconde
dentro de uma nuvem rara
Mariana Gouveia

olha-se o penhasco com que cara, senhor?

olha-se o penhasco com que cara, senhor
pinta-se? abotoa-se desabotoa-se?  eu queria lhe dizer umas luvas que pegassem carona nas curvas do vento para que chegassem aos teus ouvidos pelas costas num susto idiota demais e lindo e pegajoso numa cócega infernal. pelas costas. o penhasco e pelas costas que nem o sangue que nem a minha noção dos teus pelos dos braços. e um inseto muito alegre em algum lugar da tua lã. olha-se isso tudo e assim com que cara, senhor? chora-se? morde-se?

Carla Diacov