Hábito

HábitoHabituou-se a colher pessoas nos jardins – como se flores fossem.
Umas, de tão perfumadas anunciavam presenças só pelo cheiro.
Outras, traziam miudezas e vidas minúsculas nas palavras. Mas, de uma grandeza tão grande que espalhavam sementes além dos quintais que ela conhecia.
Algumas, de tão intensas, ocupavam um jardim inteiro. Suas palavras se esparramavam em todo canto e com isso, mais pessoas podiam saber delas e ampliar o jardim.
A beleza que o jardim tinha, eram essas espécies, que embora,usassem palavras para florir, faziam com que ficasse quieta a voz quando podia descrever.
o hábito se transformou em ofício e foi ser jardineira por aí.

Mariana Gouveia

Anúncios

2 comentários em “Hábito

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s