Cicuta

Cicuta

Debruça-te, amor

e colhe-me a manhã

bebe-me o hálito

morde-me os gemidos

eu sou o copo

de cicuta

(o vinho)

 

com o qual envenenas

os sentidos

 

Maria Teresa Horta

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s