Sou da loucura, a tênue brisa

282. Sou da loucura, a tênue brisa

quando as manhãs ganham sentido em minha vida

eu toda rubra, refloresço no jardim

eu te ofereço o universo dos meus braços,

desejo-te nesse momento

em mim

como perfume, sedas, toques macios

e sabe descobrir o ponto exato em mim

onde alucina minhas tentações

e nos delírios da loucura, enfim

Sou dela, a loucura, a tênue brisa

que aquecendo vira furacão

sou redemoinho

no universo em crise

entre os voláteis desejos da paixão;

se for assim, manhã de mim

derreto em explosão.

Mariana Gouveia

Anúncios

2 comentários em “Sou da loucura, a tênue brisa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s