Ser

é feminina a felicidade

Ser

lamber-te a inquieta pele e apagar
o lume
que no peito explode.
nas manhãs onde
me debruço no espelho dos teus olhos
e as tuas mãos fazem
das minhas
a vontade desamordaçada.

fazer dos lábios, a voz com que te mordo
a carne
e te tatuo com o que sou em ti.
colher-te o grito no meu
embalo,
de mãos crispadas na urgência

de ser.

Rosa Maria Ribeiro

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s