Geometria Variável

Geometria Variável

Leio-te este poema com sílabas em vez de versos.
Tem a medida dos teus dedos, e ponho no teu peito como um colar em que as contas são palavras, o fio que se faz da tua voz, e o fecho se abre nos teus lábios.
Vejo a estrofe cobrir-te, como um vestido de flores, e sacodes os cabelos para trás das costas, libertando de rimas e de sombras o teu colo.
E desaperto-te a cintura, onde métricas e metamorfoses se juntam, para que sejas só tu, comigo, e entre mim e ti se dissolva a poesia

 

Nuno Júdice,
Musa, Geometria Variável,
Dom Quixote

* imagem: Paul Von Borax

 

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s