4 – Porque a morte pulsa nas veias da existência e ata minha vida ao bater dos segundos?


“Sei dos crepúsculos, das manhãs, das tardes,

Medi minha vida em colherinhas de café”

Lunna Guedes

porque-a-morte-pulsa-nas-veias-da-existencia-e-ata-minha-vida-ao-bater-dos-segundos

Querida Taty,

Essa carta era para ter sido escrita ainda em Dezembro, mas os dias ganharam o simbolismo dos relógios e a vida tão ligeira quanto eles se embrenhou dentro das horas e quando dei por mim, já era ano novo, apesar de trazer o gosto do ontem em mim.
Acho que já disse que sou meio avessa a essa coisa de datas – que a maioria usa para mascarar de fato o que se devia fazer todo dia – e assim dou ênfase aos dias que são meus.
Dessas datas detesto os fogos  – apesar dos meus filhos caninos adorarem eles – e não sei porque comemorar qualquer coisa com barulhos a pipocar no céu. Ainda aqui escuto alguns nos arredores. É verdade que Lolla e Yoshi saem correndo para o quintal ao menor sinal chiado de que vai haver o pipoco. Pulam em direção ao alto e latem, como se fosse brincadeira.
A vida aqui no meu quintal renasce nesse primeiro dia do ano… os casulos enfeitam os lugares mais estranhos como se fosse normal gerar vida em um padrão de energia elétrica… mas como aqui nada é normal, acho luxo que a vida se estabeleça onde e quando quer. Mas, assim como viver é lindo, morrer também deveria ser. Ou talvez seja. A morte esteve ligada à mim de diversas maneiras nesse ano que passou. Perdi pessoas incríveis e sei que você também. Porém, como se fosse um peso compensador da saudade ganhei pessoinhas lindas na minha vida e você também…
Vejo risos se desenhando enquanto a família aumenta e se for fazer um balanço esse é o grande segredo da vida. Alegrarmos com o que vem e entristecermos com o que vai.
Aqui, além dos casulos e asas se abrindo no meu lugar, as flores dão sua imensa alegria de existirem…Abrem-se os cravos vindos como sementes do outro lado do oceano… As minhas rosinhas pequenas se projetaram em cachos que mais parece um buquê… também a dama da noite já antecede um botão dentro da expectativa de flor.
Eu presencio milagres todos os dias e é dentro deles que busco a palavra esperança e com essa esperança vivifico a vida.
Agradeço ao Universo por ele me proporcionar o encantamento diante dos fatos e até mesmo a revolta diante de outros… mas a vida é esse constante modificar e dentro disso devemos nos orientar pela presença divina que nos habita.
Sou grata por você em minha vida e mais uma vez meu carinho vai até você em forma de palavras.
Que os dias sejam de renascimentos em sua vida e que em cada  um deles traga a magia do encanto.

Beijos

Mariana Gouveia

Anúncios

5 comentários em “4 – Porque a morte pulsa nas veias da existência e ata minha vida ao bater dos segundos?

  1. Maria de sa disse:

    Amei este postal de Ano Novo tão expressivo emocionalmente . Maria

    Curtido por 1 pessoa

  2. Mariana Gouveia disse:

    Grata, Maria! Beijos

    Curtir

  3. rosaniabastos disse:

    Republicou isso em Borboletanoespelhoe comentado:
    Porque é lindo…

    Curtir

  4. rosaniabastos disse:

    Mariana, mais uma vez emocionada com a profundidade singela de suas palavras! Uma flor do vento! Abs.

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s