Folheava as plantas.

Folheava as plantas..jpg

As folhas, as pétalas, os espinhos, os cheiros; salivava pontas de dedos ao revirá-las; eram brancas aos meus dedos, translúcidas ao sol.
Passeei um olhar abstrato no concreto do jardim, descansei os olhos sob a sombra fria dos bancos. Caminhei a disposição geométrica dos paralelepípedos contra a linearidade dos passos transeuntes.
Era pesada a ausência que a mim aguardava – enquanto eu a esperava.
Do outro lado dessa muralha e dessas grades, que isolam todo o jardim, marulha essa angústia nos degraus da cidade.
Com uma tesoura de papel tentei podar os muros; caíram a meus pés, descalços, os meus cabelos brancos, enquanto, em minhas mãos, o sangue verde de uma folhalâmina escorria em líteros gotejares: o sangue verde de uma folhalâmina se espalhava pelas páginas, enquanto, eu, em pontas de dedos, salivadas, folheava-as.

Alexandre Pedro
*imagem: Nishe

Anúncios

2 comentários em “Folheava as plantas.

  1. mariel disse:

    Lindo, mesmo depois do corte

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s