87. da estação das águas


Os dias marcam o fim da estação. As águas se espaçam e quando chove é mais tranquilo, sem o risco de enchentes.

Hora de cuidar da horta… Tirar as ervas daninhas, visitar os insetos e seus ninhos…

O pai cuida dos arredores do curral… É hora de nascer o bezerro da Estrela.

As sementes que foram plantadas começam a brotar…

O tempo passa mais lento e algumas frutas do pomar já pedem colheita.

Os papagaios começam a se aproximarem para roubar comida do pomar.

O tempo das águas durou o tempo certo para as plantações e mais uma vez fomos abençoados pela natureza…

É a vida tocando nossas almas com toque de mestre.

Mariana Gouveia

87. da estação das águas

Anúncios

5 comentários em “87. da estação das águas

  1. Cada leitura, uma viagem deliciosa… ❤

    Seus escritos têm o cheiro do interior… daquele café no bule quentinho, daquele doce sendo feito no tacho, cheiro de mato molhado, de terra úmida. E tem barulho de chuva, de folhas quando a gente pisa descalço no chão, de conversas na varanda e de muitos risos pela casa.

    Eu simplesmente adoro! 🙂

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s