3 – Ninguém conhece a fundo a luz do seu abismo

“Nenhum abismo me cabe
nessa hora, eu voo”.
Mariana Gouveia

Querida T.

Enquanto você compõe pássaros dentro de seus silêncios, eu voo…
Descobri asas no seu lugar e ali, envolvo dentro de suas palavras…
Tomo a liberdade de te escrever cumprindo um ritual que faço desde sempre – que me lembro –  de rabiscar palavras em forma de cartas. Já me disseram que sou assim, meio mãe de todo mundo e quando vi o azul dos seus olhos te imaginei celeste – tal qual o céu do meu lugar – mergulhei em seus abismos, me preparei para voos dentro das emoções que você tão lindamente entrega de presente para quem te lê.
Quando abrimos os jornais, sites de notícias ou falamos com alguém, as notícias ruins imperam as conversas e isso aqui é um alívio nesse ritmo de coisas tristes que andam por aí.
Não é que eu seja alienada e não esteja nem aí para as coisas que andam acontecendo, mas é que já há tanto de desânimo que prefiro usar as palavras para falar de amor, de vida, de natureza e de mostrar nas fotografias que o mundo pode sim ser diferente, vivido em seu extremo prazer de viver.
A vida não tem sido generosa comigo e ao mesmo tempo me enche de delicadeza como retribuição. Eu vejo a vida miúda no meu quintal, vejo o gigante acontecer no céu e abraço pessoas até mesmo sem tocar, que tudo que vivi e vivo deixa de ecoar em dores no corpo.
A gente que escreve tem esse conceito de tentar derramar nas histórias o nosso sentimento e isso, você faz magistralmente… embora, isso não nos impede de percorrer a linha tênue entre o espaço e o abismo.
Esse abismo instigante que nos chamam quando estamos a poucos passos do pulo ou o espaço ali, oferecendo um voo saboroso dentro da poesia e do amor.
E como você mesma encara a palavra tua, dona dela e maravilhosamente inspiradora, finalizo essa carta com a simbologia dos seus versos:

“Que eu saiba ser
buquê de pássaros
para perfumar os sonhos
em pleno voo”

Tríccia Araújo

Que os voos sejam teus sempre, menina coração.

Beijo,
Mari

Projeto Missivas de Abril
Scenarium Plural Editora
Anúncios

11 comentários em “3 – Ninguém conhece a fundo a luz do seu abismo

  1. mariel disse:

    Barbaridade. Que voo lindo.

    Curtido por 2 pessoas

  2. Mari… ❤

    Estou tão feliz por este presente, que nem sei como agradecer direito, que palavras usar, porque, às vezes, nos acontecem coisas tão bonitas que a gente só consegue sentir… não dá pra nomear. É assim que eu me sinto agora, lendo-te… :))

    Gratidão por suas palavras… e, acima de tudo, por tua amizade.
    E que o nosso voo seja infinito, debaixo do sol da poesia.

    Um abraço de asas…

    Curtido por 1 pessoa

  3. […] via 3 – Ninguém conhece a fundo a luz do seu abismo — O Outro Lado […]

    Curtir

  4. Lunna Guedes disse:

    Adoro ler suas missivas e sentir como se estivesse a acompanhar o movimento de usa mãe junto ao papel, repousado sobre a mesa da cozinha. Os cães em volta. O trovão ao longe e a cidade em movimentos de domingo. rs

    bacio

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s