346. dos verbos indefinidos

Traçou a rota do dia. Mudou as rotinas todas. Pendurou a asa no varal. Havia previsão de chuvas.
A lua era apenas um risco dentro da nuvem.
Um menino de cabelo laranja mudou o dia. Às vezes, o destino improvisa as coisas e as horas tem cheiro de frutas.

As distrações trazia vontade em outros idiomas. Um sábio mudou para o endereço além das estrelas, enquanto guerreiros mudam rituais no dia.
A paz pode ser descrita em um poema, mesmo com uma guerra interna sendo travada na alma.
A sorte do dia sendo decifrada em um jogo de memórias. O riso encerra o abraço com a vida. A ignorância das marés criando hábitos em um dia marítimo.
A  fortuna chegando na flor da laranjeira. O verbo mudando o fim da página.
Os elementos da loucura sendo refúgio para as noites do nada e a verdade desbotada no boato do que o olho criou onde a paisagem é essa janela onde o vento bate.

Mariana Gouveia
346. dos verbos indefinidos
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s