353. dos verbos indefinidos

para que o rio valesse mais que a lágrima,

o orvalho devia ter sabor de vento
dessas manhãs ensolaradas
de estradinhas feitas de flores e de flores plantadas pelas crianças.
para que o pássaro tivesse voo
devia valer mais do que pouso
o céu entre o azul e as nuvens – todas – e o sol mais do que sol
e o brilho todo
para que a sorte valesse tanto
devia valer mais que a crença
devia haver mais esperança
para que a crença valesse tanto
devia ter fé…
* dos dias em que a fé foi a palavra boa.

Mariana Gouveia
353. dos verbos indefinidos

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.