Carta à Alejandra

Missivas de Agosto!

Scenarium livros artesanais

Por Mariana Gouveia

Não é você a culpada
de que teu poema
fale do que não é

‘Diarios’,
2 de Enero, París, 1963.

.Mariana Gouveia, autora

.

.Caríssima minha!

Enquanto te escrevo fito teus olhos que sobressai como se me analisasse na entrega da carta. Vi nesses olhos, minha mãe, com fome de viver enquanto a noite fria de inverno anos atrás tragava-lhe a vida. Vi também os olhos de minha irmã espiando o rio — antes que a curva levasse as flores de oferenda para algum santo — e despetalava o mal-me-quer na busca de uma resposta que nem ela mesma sabia a pergunta.
Vendo teus olhos — agudos — me vem à memória a Capitu — do Bentinho — e logo uma canção me instiga a ler/ver você, com seus olhos de fome de vida — igual minha mãe — que tinha olhos que intimidava iguais aos teus.
Na noite passada…

Ver o post original 225 mais palavras

Anúncios

2 comentários em “Carta à Alejandra

  1. Ricardo Cunha disse:

    Poucos têm o dom de revestir fatos em crônicas e crônicas em poesia!
    Forte Abraço

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.