Carta à Marte aos cuidados de Vênus

Carta à Marte aos cuidados de Vênus*imagem: Brooke Shaden

Voltei ao seu quintal, e a sua presença é tão forte ali, que nem parece que se foi.
As flores continuam perfeitas e as árvores em sintonia cantam a canção do vento que você dançava.
Parecia que estava ali. Passei por entre os azuis das Hortênsia que você ganhou de alguém.
O pé de amora está no auge e na exuberância – palavra que você repetia para qualquer coisa fora do comum – das frutas. Até parece que sua risada está ali, e a essência da geleia que você fazia parece encher o ar.
Geléia de amora é para amar, Maryann! – você dizia!

Minha missão era esvaziar a casa de suas coisas, de você.
Mas vim embora com todas as lembranças. O diário que me continha em cada dia, a toalhinha de crochê que foi um presente há alguns anos atrás.
Conto um mês hoje, e logo serão dois, 11. Logo será ano e volto do seu lugar com a imagens das poesias escritas no seu quarto onde a vida flutuava em você.
Qual planeta você habita hoje?
Qual emoção te move nesse plano além do olhos?
– Marte é logo ali, Maryann! Basta bater no calcanhar três vezes e dar um pulinho que você já embarca.
Acho que perdi o jeito! Vejo Vênus, Órion, vejo todas as estrelas. Não vejo Marte.
Marte, hoje mora dentro de mim.

Mariana Gouveia.

Anúncios

Menina, que sina essa?

1393039_339474702856150_1128347943_n*imagem: Tumblr

Para essa dor,
sabe que não há analgésico…
O jeito é :
se a dor rimar com a menina
a menina a desrima com


ri

rua!

Por vezes ouvia a música…

Por vezes ouvia música.*imagem: Alisa Verner

Só ela ouvia música; aliás, era ela que escolhia, mentalmente, as músicas que ouvia, ouvia secretamente essas músicas. E dançava com essas músicas; dançava com os olhos, com movimentos de cabeça, com os braços. Podia estar a ouvir pessoas e estar, ao mesmo tempo, a dançar essas músicas. Dançava; às vezes, por dentro de si mesma.

Baptista Bastos

confissão

AMulhereasestrelasemfundoroxo...*imagem: Web


se me vires bebendo estrelas
desconfie
posso estar ficando louca

ou talvez seja
apenas tentativas
de usar delas as pontas
e como ao bom ladrão
crucificar-te dentro de mim

doidamente já te matei
saudade a saudade

pra em seguida descobrir
:esta dor que anoitece o mundo
é apenas a vontade
de alvorecer
em ti

por isso agora
esta doideira de fatigar estrelas

Lourença Lou