Me ensinas

me ensinas

me ensinas o murmúrio das pedras
te ensino a voragem dos rios
me ensinas o ritmo das plantas
te ensino a dança dos ventos
me ensinas a quietude das ondas
te ensino o turbilhão das marés
me ensinas segredos de estepe
te ensino magias da selva
me ensinas a conjurar estrelas
te ensino a domar cometas
me ensinas a canção da espera
te ensino a festa do encontro

Lizete Mercadante

És

És

“(…)
És
para meu desespero
Como as nuvens que andam altas
Todos os dias te espero
Todos os dias me faltas.”

Linhares Barbosa, in “Os teus olhos são dois círios

Borboletas de veludo

DSCF1954

Um bater de asas imperceptível
que procura arrepios
na eterna primavera dos sentidos,
flutuo de um quarto para o outro
deixo pegadas
é o amor que sua do meu corpo,
preenche esta casa.
Horas, faço horas e roubo minutos
que consumo a estar contigo,
troco dias por noites
e noites por uma vida.

Estelle Vargas