Ausência

Eu deixarei que morra em mim o desejo de amar os teus olhos que são doces
Porque nada te poderei dar senão a mágoa de me veres eternamente exausto.
No entanto a tua presença é qualquer coisa como a luz e a vida
E eu sinto que em meu gesto existe o teu gesto e em minha voz a tua voz.
Não te quero ter porque em meu ser tudo estaria terminado
Quero só que surjas em mim como a fé nos desesperados
Para que eu possa levar uma gota de orvalho nesta terra amaldiçoada
Que ficou sobre a minha carne como uma nódoa do passado.
Eu deixarei… tu irás e encostarás a tua face em outra face
Teus dedos enlaçarão outros dedos e tu desabrocharás para a madrugada
Mas tu não saberás que quem te colheu fui eu, porque eu fui o grande íntimo da noite
Porque eu encostei minha face na face da noite e ouvi a tua fala amorosa
Porque meus dedos enlaçaram os dedos da névoa suspensos no espaço
E eu trouxe até mim a misteriosa essência do teu abandono desordenado.
Eu ficarei só como os veleiros nos portos silenciosos
Mas eu te possuirei mais que ninguém porque poderei partir
E todas as lamentações do mar, do vento, do céu, das aves, das estrelas
Serão a tua voz presente, a tua voz ausente, a tua voz serenizada.

Vinicius de Moraes
*imagem: Michael Färber

por onde em mim

something_of_nature_by_carlosjmroque-d4t6cz3


Escoa tua delicadeza por entre minhas pedras
onde se criou limo
Retira com delicadeza
o limo por entre onde
me virei pedras
E fica
pedra ou limo
por onde em mim
entre

 
 
Hermes Bernardi Jr.
*imagem: Google

Se você quiser eu danço com você

Anouk Lacasse  flores vento cabelos

no pó da estrada
pó, poeira, ventania
se você soltar o pé na estrada
pó, poeira
eu danço com você o que você dançar

se você deixar o sol bater
nos seus cabelos verdes
sol, sereno, ouro e prata
sai e vem comigo
sol, semente, madrugada
eu vivo em qualquer parte de seu coração

se você quiser eu danço com você
meu nome é nuvem
pó, poeira, movimento
o meu nome é nuvem
ventania, flor de vento
eu danço com você o que você dançar
se você deixar o coração bater sem medo

 

Lô Borges e Ronaldo Bastos
*imagem Anouk Lacasse

Pego na tua mão…

JAPARIDZEMAIN MAIN


e beijo-a. Pego na tua mão e danço.
Pego na tua mão e apresso o movimento da terra à volta de nós dois.
Pegar na tua mão é viver de novo a vida de uma forma inteira.
Inspiro-te. Respiro-te. O cansaço é doce, estupendo, para sempre.
À nossa volta tudo arde no fogo verde desta primavera, e a inquietação é um fruto excitante, por colher. Não pares.
Continua a dançar comigo. Como se fizéssemos amor.

Joaquim Pessoa
*imagem: Nick Japaridze



.