Tatuagem

Tatuagem
*imagem: Facebook

Cola-me à pele
a roupa que despi.
Vejo-a espalhada
sobre o soalho,
sinto-a por dentro,
num canto de mim
– nunca explorado.

Fica gravada na pele
como uma tatuagem
– involuntária.

Dulce Morais

Anúncios

Flor

Frederike berger

A tua roupa interior
tem como tecido
a minha pele

 

Gonçalo Salvado
*imagem: Frederike Berger

Abstinência

abstinência*imagem: Tumblr
.

Virei alcóolatra
bebi tua falta
tua ausência

Bebi essa vontade absurda de você

e agora sofro de abstinência
todo dia invado os jardins
como pétalas
arranco as flores
vago entre os canteiros

busco vestígios de você
e na loucura absurda das horas e da falta

tenho alucinações de que você está aqui
na minha boca
e eu bebo você.

Mariana Gouveia

Cheiro de lua

Cheiro de lua


Não era cheiro de mato
nem de alecrim no jardim

Cheirava a céu
de estrelas – eu pensei

Mas confesso que errei
Uma nuvem se acentua
e eis que assim, despida
toda nua

Senti o cheiro da Lua.

Mariana Gouveia
*imagem: Tumblr

283. das infinitudes

Havia um vento morno vindo do sul. Trovejou ontem – raios rasgaram o céu – e o cheiro de terra molhada invadiu o ar e a chuva veio bravia.
A vida é feita desses instantes que ninguém escreveu. Uma janela aberta e um rio invade o quintal. Árvores com as raízes à mostra e as paredes cinzas ofuscando o clarão dos relâmpagos.
Ouço uma melodia que me traz a sensação de que nasci agora. A tempestade fazendo a mão para indicar caminhos. Tudo é escuro na noite lá fora.
Os poemas espalhados na lama como sementes. Quem sabe amanhã não nascerá as palavras da atitude.
Às vezes, o silêncio é essa goteira que pinga sem parar.
Essa luz que insiste em ser acaso… a noite, o nada e o vento.

Mariana Gouveia
283. das infinitudes