178. da geografia das coisas

O campo dá certeza das coisas. O vento aqui traz a leveza da brisa e é cada coração em cada grito;
O céu tem asa em tudo quanto é canto e de noite, traz estrela em cada espacinho dele. Dá para ver as nebulosas e o caminho de Santiago… O Cruzeiro do Sul, bem ao sul vagueia no laguinho onde o cão se banha.
Os vaga – lumes oscilam perto do lago e ele – o cão –  corre atrás de algo que voa…
Aqui, tudo voa – ou quase – e quando a asa vira coração, vira folha – de dia – e de dia, o azul é deslumbrante! Parece vestido de festa e as folhas ficam rendadas para ficar a altura da beleza.
É tudo simples… a beleza da noite se esconde, porque fica tudo mais bonito, assim a olho nu.  O campo ao longe, o barulho da floresta e o riacho sempre espera para depois…
E depois, se transforma em sonho. E de sonho, em toda leveza de ser, eu sou.

Mariana Gouveia
178. da geografia das coisas
Anúncios

As tramas…

8383_803031886475782_7850975013582486098_n

dos sentidos
na pele
com que a vida te veste:

teias
filigranas
raízes
e labirintos.  

Joelma Bittencourt
*imagem: Tumblr

Toca minha pele assim:

Toca minha pele assim*imagem: Mira Nedyalkova

as costas com beijos lentos
a nuca com lábios roxos
as coxas com mãos noturnas.

Nada é mais suave
que teu cabelo solto
aberto como asa
sobre meu corpo.

  Neide Archanjo

Ela sou eu também

ela sou eu tambémMesmo sem querer,
mesmo não querendo uma nem outra,
somos uma só e a mesma. Mas ela trai-me
quando escreve por mim, quando não se conforma,
quando quer tudo.
Ela, a das lágrimas de raiva,
a que nunca te beija com meus lábios. 

 Amalia Bautista

Leu algo aqui

Leu algo aqui*imagem: Demetrius Borges Mauro Fotografias


Leu algo aqui
sobre preferir os homens
que assentam tijolos
comprou logo um milheiro
e começou
a assentá-los
digo isso e
me engasgo toda
[ o cimento na garganta ]
_acho que tô precisando me casar
só pra ver qual é

Ana F