Insiste,

Insiste

em ser gota
líquida
transparência da pele
… toque.

Insiste,
… em ser beijo
suor
lascívia
saliva

Insiste,
… em ser a língua
umidade!

insiste,
… em ser você
em mim.

Mariana Gouveia.

Anúncios

Silêncio e sons

DSCF1272

A garganta fechada obriga o silêncio a se manifestar.
 
A palavra presente
 
Põe os dedos pra falar.
Cláudia Costa

A vida não é para quem tem pressa…

A vida não é para quem tem pressa
Todos os dias eu a via por ali. Como se medisse passos, como se medisse a vida.
Como se dissesse:
– A vida não é para quem tem pressa, moça.
A vida é para acontecer no instante do agora.
E assim, os dias seguiam seu destino de ser dia.
O diário das rotinas. A fala improvisada no programa de rádio.
A canção que ela mais gostava e seu lugar. Era ali que a vida podia ser medida vagarosamente para viver.
Era só respirar e viver e esperar o momento da transformação.
Para amanhã, asas.

Mariana Gouveia

Carta a Janeiro aos cuidados de Zi

Carta a Janeiro aos cuidados de Zi
Sabe, Zi…
Já é de novo um ano novo e como transformei essa carta em um ritual venho trazer notícias para o ano. É melhor não mudar o que deu certo, não acha?
A minha manhã amanheceu chuvosa e as aves todas parece que veio buscar abrigo no pé de hibiscus – que, por sinal, está mais florido do que nunca – e ganharam os voos rasantes de Chiquinho como se o quintal fosse só dele.
Por falar em florido, todo meu quintal está. O hibisco normal está escarlate. Do vermelho mais vermelho. Até os trevos estão parindo flores rosinhas que dá gosto de ver.
Ah, Zi, 2015 foi um ano difícil. Posso enumerar os dias bons. Devem caber nos dedos das mãos.
Foram perdas imensas, acidentes e tragédias que respirei aliviada ontem quando ele anunciava seu fim. Mas, o último dia foi lindo! De suspirar. De engrandecer a alma – só por causa dela – que eu até queria suspender um pouco mais as horas para que durassem um tanto mais as últimas horas do ano.
Mas ele foi. E surgiu esse ano novinho para que tudo seja diferente.
A vida é esse eterno trabalhar e eu busco no plantão as primeiras notícias do ano. Quem nasceu, quem morreu, quem ganhou a mega da virada.
O primeiro bebê a nascer é uma menina e se chama Ana. Não é um bom presságio isso, Zi?
Entre uma notícia e outra, a receita para o almoço, e o pedido de horóscopo para o mês.
Vai ser um ano de desafios, Zi e de emoções.
2016 será regido pelo sol, Zi, esse astro rei que parece que mora aqui no meu lugar. Por falar em sol, até meu girassol floriu e a primavera já acabou. As joaninhas, tão minhas, aproveitam bem a folha e se misturam entre as cores dele.
Então, é isso, Zi. Ritual cumprido, é hora das rotinas todas das notícias irem para os devidos lugares. Peço licença para a astrologia e reafirmo que vou continuar sendo das borboletas – que por sinal nasceram mais duas hoje e ainda há mais casulos a esperar a hora da metamorfose – das joaninhas, do Chiquinho.
Das aves, do sol e da lua.
E aqui, representada por você, abraço a vida, Zi.
Que os sonhos se realizem e que tudo seja mesmo regido pela energia do sol.
O ano vai “avoar”, Zi…as horas correm ligeiras e já está indo o primeiro dia de Janeiro.
Que esse início seja leve e de paz.

Beijo,

Mariana