Ela tinha sorte.

Ela tinha sorte.

Encontrava os amuletos necessários
para dar vida aos seus devaneios.
Mas, no amor, pobre louca
vivia perdida em silêncios que não entendia.
Achava a sorte tão tola.
Quebrou os amuletos todos.
Resolveu viver de saudade.

Mariana Gouveia

Que inverne,

Que inverne,
que primavere, que verãonei, que outone.
Que eu esteja em qualquer estação do ano, te amando, te esperando
até que uma chuva, uma flor, um raio de sol, ou uma folha me traga você

Laura Méllo

Para dias nublados e solitários:

Para dias nublados e solitáriosum orvalho na folha da hortelã é um poderoso desembaçador de retinas. Uma câmera ou um violão para esvaziar o peito das garoas e uma grande notícia inventada para cantos…

Um Toque de Vida – por Ziris